Antropologia UFPel
 

Antropologia e Arqueologia

 

 

Carta Aberta
_____________________________________

Carta Aberta da Área Antropologia/Arqueologia em Defesa da Pós-Graduação no Brasil. Anexo

 

Avisos
_____________________________________

PPGAnt 2015/2 - Em razão da greve de servidores técnicos-administrativos da UFPel não haverá edital de matrícula especial para 2015/2. Discentes regularmente matriculados em outros PPGs poderão cursar uma das disciplinas ofertadas pelo PPGAnt, desde que o/a docente responsável pela disciplina aceite a matrícula. Para viabilizar a participação na disciplina desde o início das aulas, em 10 de agosto, é necessário enviar, até o dia 04 de agosto, nome completo, CPF, comprovante de vínculo estudantil com Programa de Pós-Graduação, indicação da disciplina e uma carta de intenção justificando o interesse para o email  ppgant@ufpel.edu.br

 

Livro
_____________________________________

Pensamento  social  no  Brasil,  por  Giralda  Seyferth:  notas  de  aula
Organização: Joana  Bahia, Renata  Menasche e Maria Catarina Chitolina Zanini.
Porto Alegre: Letra&Vida, 2015. 256p.


Na primavera de 2012, em Pelotas (RS), por iniciativa do PPGAnt/UFPel, aconteceu o curso Pensamento Social no Brasil, ministrado pela professora Giralda Seyferth (PPGAS/MN/UFRJ).
O curso, agora transformado em livro, examina diferentes interpretações da formação nacional brasileira, a partir de alguns autores significativos no campo do pensamento social, que deram destaque a temas preponderantes na discussão dos “problemas brasileiros”: escravidão, raça, imigração, assimilação, caldeamento e sociedade brasileira.

 

Moções
_________________________________________

Moção de repúdio à PEC 215.

Moção em defesa da regulação específica da ética.

 

Nota
_________________________________________

O colegiado do PPGAnt/UFPEL  (Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPEL) está apreensivo com a ameaça de livre expressão da comunidade que congrega a cosmovisão afro-brasileira, popularmente conhecida como seguidores das religiões de origem africana (Umbanda, Quimbanda e Nação). Há um histórico recente em Pelotas de revezes que pesam sobre a livre prática destas tradições religiosas, e o último foi o incêndio ocorrido na Imagem de Yemanja, depositada na gruta no Balneário dos Prazeres, vulgo Barro Duro. A imagem foi encontrada totalmente queimada e as circunstâncias do ocorrido não estão esclarecidas. Tendo em vista a importância religiosa e simbólica da Imagem de Yemanja  como patrimônio material do Povo Brasileiro, os representantes dos cursos de Pós-Graduação e Graduação em Antropologia apresentam-se muito preocupados com o episódio e solicitam uma ampla investigação policial para verificar os fatos que levaram ao incêndio da referida estátua.

Pelotas, 16 de abril de 2015.


 
__


__ __
  Sobre a graduação    
 


O curso de graduação em Antropologia, criado em 2008, faz parte do Departamento de Antropologia e Arqueologia do Instituto de Ciências Humanas da Universidade Federal de Pelotas. Está inserido em um movimento de (re) aproximação estratégica, oportuna e inovadora entre a Antropologia Social e Cultural e a Arqueologia no país.
Trata-se de um bacharelado voltado para uma formação holística, de caráter inter, multi e transdisciplinar, aliando saberes técnico-científicos com compromissos éticos e sociais inerentes aos ofícios de antropólogo sociocultural e arqueólogo. Esta perspectiva profissional também vai ao encontro de demandas da sociedade e do mercado de trabalho: prefeituras municipais, governos estaduais, FUNAI, INCRA, MPF, empresas de consultoria científica, ONGs, educação superior etc.

Para tanto, a graduação conta com técnicos capacitados e com um corpo docente experiente e qualificado nas melhores universidades do país e do exterior. Também funciona com o apoio de laboratórios, grupos de pesquisa e núcleos de estudo, nos quais são desenvolvidas atividades de ensino, pesquisa e extensão, orientadas pela busca de um equilíbrio entre teoria e prática.

Em 2014 o curso foi avaliado pelo MEC, recebendo nota 4 (sendo 5 a nota máxima).

   
 

Sobre a pós-graduação


O Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPel, vinculado ao Departamento de Antropologia e Arqueologia, oferece o curso de Mestrado em Antropologia com áreas de concentração em Antropologia e em Arqueologia. O Programa segue a mesma proposta pioneira desenvolvida no Bacharelado em Antropologia da UFPel, com linha de formação em Antropologia Social e Cultural e linha de formação em Arqueologia.

   
 

O PPGAnt propõe o fortalecimento das relações entre Antropologia e Arqueologia, incentivando abordagens que enfatizem tanto os aspectos sincrônicos, quanto diacrônicos no estudo da cultura. Comungando o interesse pelos conceitos de etnografia e interculturalidade, as áreas de concentração do Mestrado buscam fomentar estudos sobre realidades fronteiriças, estimulados pela própria localização geográfica da UFPel, nos limites sul do Brasil. No PPGAnt, etnografia é vista como a possibilidade de uma composição entre o reconhecimento da natureza simbólica da cultura e uma metodologia capaz de produzir caminhos para reconhecer essa realidade nas suas variadas dimensões, agregando seus elementos antropológicos, arqueológicos e históricos. Concentramos nossos esforços reflexivos na problematização da descontinuidade e da interconexão, da dinâmica entre limite e fluxo, da agregação das diferenças entre os lados da fronteira. Seja no passado das populações ameríndias, seja no presente desses e outros grupos colonizados, as fronteiras sociais ou políticas não marcam limites intransponíveis entre culturas, grupos sociais e formas de pensamento - marcam, pelo contrário, lugares de encontro, de conflito e de negociação.

O Mestrado do PPGAnt foi aprovado pela CAPES em dezembro de 2011 e o início das atividades se deu em abril de 2012, com ingresso anual em duas linhas de pesquisa, totalizando 24 vagas. O PPGAnt da UFPel oferece infra-estrutura de pesquisa e conta com 16 professores e orientadores conceituados nas suas áreas e com ampla experiência em ensino e pesquisa.